SOBRE MIM

Sou bacharel em Artes Visuais, mas isso não significaria nada se eu não fosse alguém que respira arte e poesia. Numa época onde as relações humanas são líquidas, a arte se mostra mais do que necessária: para nos atentar à sensibilidade de perceber o outro e a nós mesmos, aceitando também as sombras que nos invadem.

 

Meu contato com Arte vem de berço. Meu pai era desenhista por profissão e me ensinou a catalisar meus medos (e emancipar meus sonhos) através das linhas do desenho.

Eu fazia bonecos de massinha porque não tinha como comprar brinquedos fora de ocasiões especiais.

Na juventude solitária - e sonhadora - criava histórias e desenhos para no qual habitar.

 

Mas foi na faculdade que aprendi a dar corpo à arte que eu buscava. Mas também aprendi que instituições podem nos apequenar. Descobri que meu lugar é nas ruas, na vida cotidiana. Fiz muitas instalações artísticas em espaços públicos, mas sem alarde, sem "registro oficial" da instituição. Pois, assim como mostra Allan Kaprow, a arte deve integrar-se à vida e só assim será eficaz.

Por isso, quero trazer à vida os sonhos alheios, em forma de desenho, maquete, colagem. Etc.

 

A Arte como meio é meu modo de comunicar a vida. É meu MEIO DE VIVER. Não gosto de fazer coisas sem significado, sem envolvimento, que obedeçam o mero objetivo de vender. O mercado me interessa apenas como plataforma de possibilidade, mas eu ando de mãos dadas com sonhos, sejam eles meus ou não.

Se nada nos salva da morte, que a Arte nos salve da vida!